• Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

LEILA DANZIGER é artista, professora do Instituto de Artes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, pesquisadora e poeta.

 

Um dos vetores de seu trabalho é a investigação da página impressa (jornal, livro, documento histórico), orientando-se pelos atritos entre a micro e a macro historia, entre a memória familiar e as construções da memória de violências extremas. Seus trabalhos desenvolvem-se em meios diversos (técnicas de impressão e de apagamento, fotografia, vídeo, instalação e escrita).

 

Entre seus projetos principais destacam-se ‘Diários públicos”, série em processo contínuo realizada a partir do apagamento seletivo de jornais impressos, e “Navio de emigrantes”, que homenageia Lasar Segall, e conecta a crise de refugiados da Segunda Grande Guerra e a crise de imigração atual.

Entre suas exposições individuais recentes estão Navio de emigrantes, na Caixa Cultural de Brasília (2018) e na de São Paulo (2019); Ao sul do futuro, no Museu Lasar Segall, São Paulo (2018). E também O que desaparece, o que resiste, na Funarte de Belo Horizonte (2014); Felicidade-em-abismo, na Capela da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rio de Janeiro (2012) e What vanishes, what resists, na MFA Bezalel Gallery, Tel Aviv, Israel (2011).

 

Entre as coletivas recentes, destacam-se Rio dos Navegantes (maio de 2019 a março de 2010), no Museu de Arte do Rio, Rio de Janeiro; Mulheres no Coleção do Mar, Museu de Arte do Rio, Rio de Janeiro (2018); Hiatus: a memória da violência ditatorial na América Latina, Memorial da Resistência, São Paulo (2017); Livres Uniks, Topographie de l’art, Paris (2017), Mémoire des livres, Galerie Dix9, Paris (2016); Imagetexte, Topographie de l’art, Paris (2016); Asas a raízes, Caixa Cultural, Rio de Janeiro (2015); Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas, Museu de Arte do Rio, Rio de Janeiro (2014).

 

Publicou três livros de poesia pela editora carioca 7Letras: Três ensaios de fala (2012);  Ano novo, (2016), C’est loin Bagdad [fotogramas], (2018), além de dois livros sobre sua produção artística: Diários públicos, Ed. Contra Capa (2013) e Todos os nomes da melancolia, Ed. Apicuri (2012). 

Artist, poet and researcher LEILA DANZIGER lectures at the Institute of Arts, Rio de Janeiro State University.

 

One of the vectors of her work is investigating the printed page (newspapers, books and historical documents), guided by the friction between micro and macro history, between family recollections and the constructs of memories of extreme violence. Her work ranges through an assortment of media, including printing and wipeout techniques, photographs, videos, installations and writing.

 

Notable among her main projects are the Public Diaries (Diários públicos), an ongoing series prepared through selective wipeouts of newsheets and Emigrant Ship (Navio de emigrantes), a tribute to Lasar Segall that links outflows of refugees fleeing World War II and its aftermath to today’s immigration crisis.

 

Recent one-woman shows include: Emigrant Ship (Navio de emigrantes) at the Caixa Cultural Centers in Brasília (2018) and São Paulo (2019); South of the Future (Ao sul do futuro) at the Lasar Segall Museum in São Paulo (2018); What Vanishes, What Resists (O que desaparece, o que resiste) at the Art Foundation (Funarte) Center in Belo Horizonte (2014); Happiness-in-Abyss (Felicidade-em-abismo) in the Visual Arts School Chapel, Parque Lage in Rio de Janeiro (2012) and What Vanishes, What Resists at the MFA Bezalel Gallery in Tel Aviv, Israel (2011).

Noteworthy among recent group shows are:  Rio de Navegantes (May 2019 to March 2010), at the Rio Museum of Art, Rio de Janeiro; Women at MAR Collection (Mulheres na Coleção do Mar) at the Rio Museum of Art, Rio de Janeiro (2018); Hiatus: Heritage of Dictatorship Violence in Latin America (Hiatus: a memória da violência ditatorial na América Latina) at the Resistance Memorial, São Paulo (2017); Unik Books (Livres Uniks) at Topographie de l’Art, Paris (2017); Heritage of Books (Mémoire des livres) at Galerie Dix9, Paris (2016); Imagetext (Imagetexte) at Topographie de l’Art, Paris (2016); Wings to Roots (Asas a raízes) at the Caixa Cultural Center, Rio de Janeiro (2015); and There are Schools that are Cages and There are Schools That are Wings (Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas) at the Rio Museum Of Art, Rio de Janeiro (2014).

She has authored three books of poetry through the 7Letras publishing house in Rio de Janeiro: Three Speech Essays (Três ensaios de fala, 2012); New Year (Ano novo – 2016); and Baghdad is Far [photograms](C’est loin Bagdad [fotogramas] – 2018), as well as two books on her artistic output: Public Diaries (Diários públicos) through the Editora Contra Capa publishing house in 2013; and All the Names of Melancholy (Todos os nomes da melancolia) through the Editora Apicuri publishing house in 2012. ///

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
 
FORMAÇÃO | STUDIES

Diplôme Nationale Supérieur d'Expression Plastique (DNSEP), 1989. Institut d' Arts Visuels, Orléans, France.

Ph.D. in History (area of expertise: art history), 2003, PUC - Rio de Janeiro, Brazil; with collaborative period in Oldenburg University, Germany.

BOLSAS | SCHOLARSHIPS

Post doc - Université Rennes2, France (CNPq Fellowship), 2015. 

Post doc - Bezalel Academy of Arts and Design Jerusalem, Israel (CAPES Fellowship), 2011.

7th RIOARTE Fellowship Program, the City of Rio de Janeiro, 2001/02.
CAPES/PDEE  Ph.D sholarship with collaborative period in Oldenburg University, Germany, 2000.
1th RIOARTE Fellowship Program, the City of Rio de Janeiro, 1995.
Multiplikatoren, Goethe Institut (3 months in Berlin, Germany), 1994. 

 

EXPOSIÇÕES | EXHIBITIONS

2019

Rio dos Navegantes, Museu de Arte do Rio, Rio de Janeiro [May 2019 to March 2020]

Navio de emigrantes [solo], Galeria Neuter Michelon, Caixa Cultural São Paulo. Curator: Rapahel Fonseca.

Uma delirante celebração carnavalesca: o legado de Rosa Magalhães, Centro de Artes Hélio Oiticica, Rio de Janeiro. Curador: Leonardo Antan.

 

 

2018

​Navios de emigrantes [solo], Galeria Vitrine, Caixa Cultural, Brasília. Curator: Rapahel Fonseca.

Ao sul do futuro [solo], Museu Lasar Segall, São Paulo. Curator: Rapahel Fonseca.

Mulheres na coleção do MAR, Museu de Arte do Rio, Rio de Janeiro.

Impressões do improvável, Reserva Cultural, Niterói.

2017

Hiatus: a a memória da violência ditatorial na América Latina, Memorial da Resistência / Estação Pinacoteca, São Paulo. Curator: Márcio Seligmann-Silva.

Livres uniques, Espace Topographie de l'art, Paris. Curator: Horst Haack.

Yves Carreau: transmissões, Centro Cultural da Justiça Federal, Rio de Janeiro.

Escritas insignificantes, Galeria da UFF, Niterói. Curator: Marcelo Reis de Mello.

Testemunhos possíveis [mostra comemorativa dos 10 anos do Instituto de Artes e Design da UFJF], Museu de Arte Moderna Murilo Mendes, Juiz de Fora.

2016

Imagexte 4, Espace Topographie de l'art, Paris. Curator: Horst Haack

Mémoires de livre, Galerie Dix9 Hélène Lacharmoise, Paris.

ComPosições políticas: outras histórias do Rio de Janeiro, Centro de Arte Hélio Oiticica, Rio de Janeiro.

Escritas insignificantes, A Mesa (Morro da Conceição), Rio de Janeiro. Curator: Marcelo Reis de Mello.

Somos todos Clarice, Galeria do Lago/ Museu da República, Rio de Janeiro. Curator: Isabel Sanson Portella.

 

2015

Asas a raízes, Caixa Cultural, Rio de Janeiro, Brazil. Curator: Sonia Salcedo Del Castillo.

Obras em contexto, Museu Bispo do Rosário, Rio de Janeiro, Brazil. Curator: Ricardo Rezende.

Acervo em diálogo, Museu de Arte Moderna Murilo Mendes [MAMM/ UFJF], Juiz de Fora., Brazil.

Inside the City. Artists’ Publications as Art in the Public Space - Open air Gallery, Studienzentrum für Künstlerpublikationen, Weserburg Museum, Bremen, Germany.

Contato 2, Galeria Cândido Portinari, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Campus Maracanã, Rio de Janeiro, Brazil.

 

2014

Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas, Museu de Arte do Rio (MAR), Rio de Janeiro. Curators: Janaína Melo e Paulo Herkenhoff.

​Cânone pobre: uma arqueologia da precariedade na arte, Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Curator: Ana Zavadil.

Decifrações, Espaço ECCO, Brasília. Curator: Mario Gioia.

1a. Bienal do Barro do Brasil, Antiga Fábrica Caroá, Caruaru. Curator: Raphael Fonseca.

Encontros Carbônicos, Largo das Artes, Rio de Janeiro. Curator: Marina Fraga e Pedro Urano.

O que desaparece, o que resiste [solo] , Galpão 5, Funarte, Belo Horizonte. Curator: Fátima Pinheiro.

Mares poderão subir por mais mil anos [solo], Galeria do Ateliê da Imagem, Rio de Janeiro.

2013

Museu de minúcias efêmeras [solo], Galeria da Universidade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre (UFCMPOA), Porto Alegre. Curator: Bianca Knaak.

2012

Felicidade-em-abismo [solo], Capela da Escola de Artes Visuais do Parque Lage.

Todos os nomes da melancolia [solo], Cosmocopa Arte Contemporânea, Rio de Janeiro.

Edifício Líbano [solo], Galeria Ibeu, Rio de Janeiro. Curator: Ivair Reinaldim.

 

2011

What vanishes, what resists [solo], MFA Bezalel Gallery, Tel Aviv, Israel.

V Campus (Des)situado, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

CorLaborAção, Caza Arte Contemporânea, Rio de Janeiro.
Reverberações, Cosmocopa Arte Contemporânea, Rio de Janeiro.

 

2010

Tempo-matéria. Museu de Arte Contemporânea, Niterói. Curator: Luiz Cláudio da Costa.

9o Vaga-lume. Mostra de Vídeo Experimental do Instituto de Artes da UFRGS, Pinacoteca Barão de Santo Ângelo, Porto Alegre.

 

2009

Materialidades na arte brasileira, Museu de Arte Moderna Murilo Mendes, Universidade Federal de Juiz de Fora. Curator: José Alberto Pinho Neves.

Contato (arte e biologia), Galeria Cândido Portinari, Campus Uerj, Rio de Janeiro. Curator: Vera Siqueira e Israel Felzenswalb.

 

2008

África?, Galeria Cândido Portinari, Campus Uerj, Rio de Janeiro. Curator: Roberto Conduru.

Algumas histórias do Brasil, Museu de Arte Moderna Murilo Mendes, Juiz de Fora, Minas Gerais. Curator: José Alberto Pinho Neves.

 

2007

Diários públicos [solo], Casa da Cultura da América Latina, UNB, Brasília.

Achados e perdidos. Curator: Cláudia Tavares e Dani Sotter, Sesc Pinheiros, São Paulo.

 

2006

Traços e transições revisitadas – arte moderna e contemporânea brasileira, Sala Ruy Meira, Casa das Onze Janelas, Belém, Pará.

Lugar Plano. Espaço Ecco, Brasília. Ver=Ler, Galeria da Faculdade de Artes Visuais, UFG, Goiás. Curator: Divino Sobral.

 

2005
Visível – Legível. Galeria Antônio Sibasolly, Goiás. Curator: Divino Sobral.

Dez indicam dez, Centro Cultural Cândido Mendes, Rio de Janeiro.
Zona oculta: entre o público e o privado, CEDIM, Rio de Janeiro.
Galeria Especial, UniversidArte XII, Universidade Estácio de Sá, Campus Presidente Vargas, Rio de Janeiro. Curator: Glória Ferreira e Luiz Camilo Osório.
Inauguração do acervo de arte contemporânea brasileira, Campus Presidente Vargas, Universidade Estácio de Sá, Rio de Janeiro.

 

2004

Diários públicos [solo], Espaço Cultural Sérgio Porto, Rio de Janeiro.

 

2003
Bilder des Erinnerns und Verschwindens.  IFA- Galerie, Berlim, Germany. Curator: Barbara Barsch.

X Salão da Bahia, Museu de Arte Moderna, Salvador.

 

2002
Wegziehen, Speicherstadt, Hamburg, Germany.

Wegziehen, Kommunale Galerie Wilmmersdorf, Berlim, Germany.
Galeria Especial, UniversidArte X, Universidade Estácio de Sá, Campus Presidente Vargas, Rio de Janeiro.

 

2001
Wegziehen, Frauenmuseum, Bonn, Germany.
Mostra Cataguases-Leopoldina de Artes Visuais, Museu Chácara Dona Catarina, Cataguases.

 

2000

Eigennamen [solo], BBK Galerie, Oldenburg, Germany.

Investigações: Rumos Visuais 1 (arte e política: isto são outros 500), ItaúCultural, São Paulo; Centro Dragão do Mar, Fortaleza; Fundação Joaquin Nabuco, Recife.

Dobras do corpo, marcas da alma (segmento: a escritura judaica no Brasil), Fundação Cultural de Curitiba. Curator: Paulo Herkenhoff.

Frauenbilder, Städtische Galerie Wollhalle, Güstrow, Germany.

 

1999

Pequenos impérios [solo], Galeria Cândido Portinari, Campus Uerj, Rio de Janeiro.
Mercoarte, Osse/Museo de Arte Juan Carlos Castagnino, Mar del Plata, Argentina. Curator: Vanda Klabin.

 

1998

Nomes próprios [solo], Galeria Thomas Cohn, São Paulo.
O artista pesquisador, Museu de Arte Contemporânea, Niterói.
V Salão da Bahia, Museu de Arte Moderna, Salvador.
26 Artistas da UniversidArte IV, Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro.

 

1997

Nomes próprios [solo], Paço Imperial, Rio de Janeiro.
25o Salão Nacional de Arte de Belo Horizonte, Centro Cultural da UFMG, Belo Horizonte.
Arte na obra – A.R.I./Centro de História e Cultura Judaica, Rio de Janeiro. Curator: Susane Worcman.

 

1996

Dialog: experiências alemãs, Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro.

 

1995
Metrópolis e periferia, Instituto Goethe | Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro.
Coletiva Oito, Solar Grandjean de Montigny, Campus PUC-Rio.

 

1994
Cáucaso [solo], Pequena Galeria, Centro Cultural Cândido Mendes, Rio de Janeiro.
14o Salão Nacional de Artes Plásticas, Funarte, Rio de Janeiro.

18o Salão Carioca de Arte, Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rio de Janeiro.
Coletiva Oito, Centro Cultural da UFMG, Belo Horizonte.

 

1993
Cáucaso [solo], Centro Cultural São Paulo, São Paulo.

Programa Anual de Exposições, Centro Cultural São Paulo, São Paulo.
17o Salão Carioca de Arte, EAV Parque Lage / RioArte, Rio de Janeiro.

 

1992

Leila Danziger [solo], Galeria Macunaíma, Funarte/Ibac, Rio de Janeiro.
Coletiva Projeto Macunaíma, Funarte/Ibac, Rio de Janeiro.
16o Salão Carioca de Arte, Palácio Gustavo Capanema, MEC, Rio de Janeiro.

 

1991

IX Mostra de Gravura Cidade de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba.

Novíssimos, Galeria de Arte do Ibeu, Rio de Janeiro.

 

1990

9na. Bienal del Grabado Latinoamericano y del Caribe, Porto Rico.

 

1989

Pour Edmond Jabès [solo], Librairie Les Temps Modernes, Orléans, France.

Gravures d’Ateliers, Centre d’Arts Plastiques Albert Chanot, Clamard, France.